Vertentes do feminismo: descubra tudo sobre esse movimento

8 Minutos de Leitura

Ao ver o termo “vertentes do feminismo”, pode parecer que é difícil compreender mais a fundo esse movimento social tão importante. Mas, para falar a verdade, a teoria é mais fácil do que parece — ainda que alcançar as mudanças requeridas não seja.

Dizendo de maneira curta e direta, o feminismo é a luta das mulheres contra o preconceito de gênero. No entanto, como qualquer questão social, há visões que divergem sobre como acabar com o vilão em comum. Nesse caso, os diferentes grupos de mulheres acabam discordando sobre a origem do machismo presente em nosso dia a dia e, consequentemente, também acreditam em soluções diversas para esse problema. E assim nasceram os tipos de feminismo.

E se analisarmos com atenção, esses pensamentos se completam. Como resultado, temos ações completas para atender uma variedade de mulheres com contextos sociais e históricos diferentes. Cada uma tem sua singularidade e é isso que as fortalece.

Hoje falaremos sobre as vertentes responsáveis por trazer direito às mulheres diariamente. Vem com a gente e descubra mais sobre essa luta tão significativa.

Feminismo radical: desconstruindo estruturas patriarcais

Tendo surgido na década de 60 na América do Norte, o manifesto feminista radical foi criado por Judith Brown e Shulamith Firestone, quem despertou o grupo “New York Radical Woman”.

Esse manifesto em si visa desmistificar pensamentos ultrapassados como “meninas usam rosa e meninos azul”. Em outras palavras, este manifesto não tem nada a ver com extremismos e violência. A grande questão aqui é a opressão por conta da atribuição de gêneros. A ideia da mulher delicada, magra, feminina que utiliza um tipo específico de roupas, que se comporta de um modo imposto para ela deve ser desfeita.

O anseio dessas mulheres é poder viver sem a estereotipificação do que é ou não é considerado uma mulher, nem mesmo quais os comportamentos esperado delas. Nessa vertente, o empoderamento feminino é feito em conjunto, não de maneira individual.

Feminismo interseccional: focando nas diversas experiências femininas

O feminismo interseccional considera as peculiaridades que existem entre cada mulher, tanto com relação ao gênero, quanto raça, história, corpos e classe. Esse tipo de feminismo não prioriza mulheres brancas cis, por exemplo, porque há muitas mulheres vivendo vidas diferentes no mundo.

Para as feministas interseccionais, são esses aspectos que devem ser considerados na hora de lutar por um mundo melhor e eles que pautam as reivindicações desse grupo. Elas acreditam que se focarmos apenas na visão eurocentrada e elitista do movimento, estaremos recriando um padrão inalcançável para a maioria das mulheres. Afinal, é graças a esses padrões que muitas mulheres sofrem para aceitar seu corpo e têm suas vivências apagadas.

Elas defendem o direito dos grupos de feminismos lésbicos e transfeminismo, que saem da caixinha de gênero criada pela sociedade. É um pensamento que visa conquistar respeito e oportunidades a todas.

Feminismo liberal: em busca da igualdade de gênero nos direitos

Seu surgimento foi datado em meio a Revolução Francesa, que ocorreu no século XIX. É considerado a vertente mais antiga desde a concepção de Mary Wollstonecraft, autora de um dos primeiros textos feministas da história.

O estopim desse pensamento é a necessidade de ter mulheres em cargos de destaque social, político e econômico. De modo geral, é uma forma de ascender a representatividade feminina por meio da igualdade entre gêneros.

O foco principal é a liberdade de escolha das personalidades femininas, que devem poder alcançar tudo o que é sonhado por elas. E muitas vezes é esse o discurso que vemos em filmes que debatem o feminismo.

Feminismo marxista: vendo a raiz econômica da desigualdade de gênero

Nascendo como uma forma de criticar o feminismo liberal, lutam contra a falta de participação feminina dentro do mercado de trabalho devido às opressões do sistema capitalista.

Ou seja, o machismo não é o único fator que causa violência contra mulheres, uma vez que toda a construção do capitalismo colabora para um cenário desigual.

O principal ponto se refere ao direito da mulher ter mais possibilidades na área profissional. Considerando esse pensamento, não deve haver cargos relacionados e direcionados somente ao sexo masculino. Também defendem a igualdade salarial, visto que, segundo o IBGE, homens recebem até 22% a mais que mulheres ocupando o mesmo cargo que elas.

Feminismo negro: lutando contra o racismo e o sexismo simultaneamente

As mulheres já devem estar sempre preparadas para lidar com os inúmeros desafios que atingem o universo feminino, mas mulheres negras precisam estar preparadas para os pré-julgamentos raciais também, sabendo como lutar contra o racismo.

As opressões que mulheres negras enfrentam diz respeito à classe, raça e gênero, tornando-as triplamente marginalizadas.

O cenário feminino negro difere do encontrado por mulheres brancas. Por isso, é necessário adequar seus pensamentos para uma vertente específica do feminismo, que não visa apenas a representatividade, mas também a abolição de preconceitos raciais.

Quais são os cinco pilares do feminismo?

Os pilares do movimento feminista são aquilo que sustentam esse manifesto. É necessário entendê-los e saber como praticar os pilares do feminismo em sua vida!

1. Igualdade de gênero

Em primeiro lugar, no pilar do feminismo está a busca pela igualdade de gênero. Isso quer dizer que todas as pessoas, independente de gênero, devem ser tratadas da mesma maneira, ter as mesmas chances, direitos e acesso aos mesmos recursos.

A igualdade de gênero não se trata apenas de dar às mulheres as oportunidades que dão aos homens, mas também de desconstruir os estereótipos que limitam o potencial das mulheres.

2. Autonomia

O segundo pilar fala sobre autonomia feminina. Isso significa que as mulheres devem ter direito de escolher os seus caminhos, assuntos que dizem respeito aos seus corpos e seus destinos sem interferência de nenhuma outra pessoa. Esse pilar defende que toda mulher deve ter a liberdade de tomar decisões que afetam seu bem-estar e seu futuro.

3. Combate à violência de gênero

O combate à violência de gênero inclui a conscientização e luta contra todas as formas de violência, seja ela física, emocional, econômica ou sexual, que são direcionadas principalmente às mulheres. O feminismo e suas vertentes trabalham para que sejam criadas sociedades nas quais as mulheres possam viver sem medo.

4. Empoderamento feminino

Como quarto pilar está o empoderamento feminino. Esse tópico envolve o fortalecimento das mulheres para que elas possam brilhar em diversas áreas da vida, na política, na comunidade, carreira ou cultura.

O feminismo anseia eliminar todos os obstáculos que servem apenas para limitar o progresso feminino, desenvolvendo a ideia de que as mulheres podem e tem capacidade para se tornarem líderes influentes em suas vidas e na sociedade.

5. Interseccionalidade

O movimento reconhece a opressão de gênero como algo que afeta mulheres de maneiras diversificadas, dependendo da sua raça, classe, orientação sexual ou até mesmo identidade de gênero.

Por isso, o objetivo é criar um movimento que dê voz a todas as mulheres, principalmente aquelas que são oprimidas. A V entre as mulheres é fundamental o movimento feminista, pois juntas elas podem enfrentar todos os desafios.

O que o movimento feminista já mudou na sociedade?

Além dos mais óbvios, como direito ao voto, estudos e concepções, esse movimento também tornou-se responsável pela inserção da mulher no mercado de trabalho, dando a ela o direito de tomar decisões que afetam sua vida direta e indiretamente.

Com o crescimento do feminismo, as mulheres têm conquistado cada vez mais espaços, mesmo que de maneira lenta, elas agora têm liberdade para acessar lugares e fazer coisas que antes lhes eram negadas.

Mas não pense que acabou, o feminismo está sempre atrás de mais, essa luta não está ganha, elas estão prontas para erguer suas vozes e correr atrás de seus sonhos e direitos!

Essa história continua sendo contada e você pode fazer parte dela. Nunca é tarde para se posicionar, leia livros importantes sobre feminismo. A TJama ama levantar bandeiras e dar visibilidade a movimentos importantes. Faça a escolha certa!

Se você gostou desse conteúdo e quer se aprimorar mais na história de figuras femininas importantes como Marie Curie, Frida Kahlo, Malala e muitas outras, veja nosso post sobre as sete mulheres inspiradoras que podem mudar o seu jeito de ver o mundo. Descubra suas histórias, causas e lutas. Até a próxima!

Avalie este post

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Deixe um comentário